Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Budismo, meditação e cultura de paz | Lama Padma Samten

Arriba!

Arriba!

Bandeiras da Vitória

Bandeiras da Vitória

por Lama Padma Samten

As bandeiras dos cinco Diani Budas e de Guru Rinpoche representam as bênçãos da visão de Guru Rinpoche. São as bandeiras da vitória da lucidez sobre as limitações dos seis reinos e seus sofrimentos, e sobre a transmigração que coemerge com os seres desde os tempos sem princípio.

O Samsara não tem consistência e nem é fixo. Também não é único. Diferentes seres humanos e diferentes animais, plantas, fungos, seres marinhos, vírus e bactérias constroem e operam em bolhas de realidade específicas. A aparência de seus mundos está em constante transformação, não há um ponto final e nem há um ponto de equilíbrio. Cada ser mantém esforço constante no nível grosseiro, sutil e secreto para as aparências e realidades serem sustentadas. Ainda assim as aparências seguem sem controle e determinam seus próprios rumos. O sofrimento pelo esforço e pelas frustrações é inevitável, não importando nisso quem sejam os seres, o apoio que tenham e o poder que disponham.

A flutuação inevitável e incessante das aparências contemplada desde a mente estável, fora das bolhas de realidade, ancorada desde a visão da Perfeição da Sabedoria Prajnaparamita apresentada pelo Buda, revela a inseparatividade entre o mundo interno de cada ser e a aparência externa. Como em um jogo de tabuleiro, as aparências não existem por si mesmas, mas ganham sentido e vida pela inseparatividade com as aparências e disposições internas.

O Buda explica a profundidade desse processo ao apresentar a originação dependente. A luminosidade da mente dá nascimento, sustenta sem esforço as múltiplas aparências e reconhece lucidamente todo o processo, revelando desse modo a profundeza da mente búdica, essência de cada manifestação.

Guru Rinpoche é a lucidez diante desse processo todo e manifesta os meios hábeis através dos quais podemos penetrar em cada recanto das aparências ajudando cada ser a reconhecer sua realidade.

Quando fazemos a prece das sete linhas de Guru Rinpoche, estamos evocando sua manifestação em nossas mentes. Aspiramos a lucidez e os meios hábeis para ultrapassar nossas bolhas e gerar ações elevadas de benefício real em todas as direções. Aspiramos também a visão da realidade de cada ser e cada aparência enquanto manifestação direta da natureza de Buda.

Mestres de grande compaixão e lucidez, desde o Buda Sakiamuni e dos grandes Budas que o precederam no tempo além do tempo trouxeram esse legado cuja essência está contida na prece das sete linhas e na manifestação dos cinco Diani Budas.

É muito meritório mantermos visíveis essas bandeiras da vitória da lucidez sobre as limitações e sofrimentos de todos os seres. Que o vento da natureza última leve suas bênçãos em todas as direções, e todos os seres, de todos os âmbitos da existência se beneficiem.

Que todas as tradições de mérito e sabedoria, filosofia, psicologia e artes, surgidas que são da fonte primordial, elevem suas próprias bandeiras e preces em benefício de todos os seres em todas as direções, protegendo e elevando todas as manifestações da vida.

Durante o retiro de verão de fevereiro 2016 faremos uma acumulação da prece das sete linhas abençoando conjuntos de bandeiras de Guru Rinpoche e dos Cinco Diani Budas que posteriormente serão colocadas nas casas, ambientes de trabalho, locais de circulação de pessoas espalhando as bênçãos.
 


Mensagem da sanga

Produzir ou propiciar a produção das bandeiras é uma prática muito meritória! Cada sanga, cada pessoa está convidada para participar. Que possam haver grandes quantidades para o Lama Samten abençoar no retiro de verão. Se tiver interesse, converse com os coordenadores de sua sanga local. Uma boa prática para todos! Que muitos possam se beneficiar!

Para mais detalhes sobre o projeto das Bandeiras da Vitória e das Terras Puras, veja este trecho de ensinamento.