Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Budismo, meditação e cultura de paz | Lama Padma Samten

Arriba!

Arriba!

Como compatibilizar a prática do Darma com as relações familiares?

Como compatibilizar a prática do Darma com as relações familiares?

Lama Padma Samten: Nós deveríamos compatibilizar nossa prática com nossa ação. Os familiares são muito sensíveis a isso.

O nosso posicionamento teórico não funciona, não ajuda aos nossos familiares. Eles copiam o que fazemos e não o que dizemos que pensamos. A conexão deles com nossas teorias é mínima. Eles precisam ver a nossa ação. Neste caso, eles, de fato, se beneficiam. Eles se beneficiam mesmo quando não concordam com o que fazemos. Quando há tensões devido às ações virtuosas que fazemos, mas que não são entendidas, essas tensões são boas tensões, são tensões úteis. Quando as tensões são com nosso chefe, no local de trabalho, eventualmente surge a impossibilidade de seguirmos no próprio trabalho. Isso é uma boa tensão mesmo que seja seguida de uma demissão. A nossa atitude é olhar para aquilo que é correto e elevado, e seguir sem medo.

Praticante: Ainda em relação à família, ocorre uma cobrança, velada ou não, sobre nossas ações. Eu, por vezes, me sinto cobrada; é como se os ensinamentos gerassem uma expectativa nos familiares.

Lama Padma Samten: É correto isso que você está falando. Neste caso, nós nos beneficiamos. Se a família cobra nossa teoria, ela cobra uma coerência. Eles se tornam os protetores do Darma. Nós anunciamos os ensinamentos e eles nos obrigam a seguir o que nós falamos. O Lama não considera isso um problema e sim uma vantagem. Por outro lado, devemos escapar do sentimento de culpa. Mesmo quando erramos, não há culpa. Culpas não são úteis, são pensamentos auto-centrados. Apenas precisamos olhar novamente o que for elevado e seguir o que for elevado.