Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Budismo, meditação e cultura de paz | Lama Padma Samten

Arriba!

Arriba!

Descobrindo nossas qualidades inatas

Descobrindo nossas qualidades inatas

Curso em 4 encontros

Prezadxs,

Devido à necessidade de evitar aglomerações diante do risco de uma situação emergencial de saúde no país, Stela e eu consideramos prudente cancelar o encontro do dia 14/03. Acompanharemos a situação para avaliar a continuidade do curso nas outras datas sugeridas.
Pedimos desculpas pela notícia de última hora, e agradecemos a compreensão de vocês.
Abraços, com carinho,
Carol e Stel

Numa sociedade competitiva, somos convidados a nos compararmos uns aos outros o tempo todo e acabamos nos colocando numa corrida para sermos melhores e chegarmos primeiro. Nesse processo alucinado, acabamos ignorando as qualidades que já temos e que podem nos proporcionar maior satisfação, profundidade e leveza e, especialmente, conexão.  Nesse processo, vamos nos sentindo cada vez mais empobrecidos, embora tenhamos qualidades preciosas em nós, que não aprendemos a localizar.

Tanto as tradições contemplativas, por séculos, como a própria psicologia ocidental têm se dedicado ao cultivo de nossas qualidades inatas, de modo que nós possamos reconhecer a riqueza e dignidade internas que já possuímos, e assim superarmos a postura pobre e carente que fomos construindo em sociedade. Quando nos sentimos empobrecidos, vamos naturalmente procurar dignidade e satisfação no atingimento de metas infindáveis, na aquisição de produtos ou serviços, enfim, em coisas fora de nós e assim a constante carência existencial e o consumo desenfreado se estabelecem, exaurindo nosso planeta e nossa energia, não trazendo satisfação a longo prazo. Não relaxamos e ficamos ansiosos pela constante sensação de que nos falta algo.

As tradições contemplativas descrevem as quatro qualidades incomensuráveis como inteligências inatas que temos e que podem ser progressivamente cultivadas de modo que floresçam cada vez mais, como um jardim. Essas qualidades são compaixão, amor, alegria e equanimidade. Cada uma delas tem um significado bem específico dentro do contexto contemplativo e totalmente diferente do senso comum. Por exemplo, nós costumamos confundir amor com apego, compaixão com pena, etc.

Cultivar essas qualidades não é um trabalho de impacto apenas individual. A partir do florescimento dessas qualidades em nós, começamos a coletivamente construir outro tipo de mundo, menos autoritário, mais inclusivo e mais compassivo.

Nesses 4 encontros, vamos nos dedicar a investigar e a cultivar cada uma dessas qualidades para benefício de si, dos outros e do coletivo, de modo que possamos ganhar clareza que elas já fazem parte da nossa mente e que elas podem ser ampliadas através da prática continuada.

Alguns temas que serão abordados nos encontros:

  • Como reconhecer quando nossa mente está ampla?
  • Como reconhecer quando nossa mente está estreita?
  • Qual o antídoto para a inveja, ciúmes e apego?
  • Quais as armadilhas do amor romântico?
  • Como lidar com o sofrimento nosso e dos outros de formas saudáveis?
Esse curso é inspirado no programa Cultivando o Equilíbrio Emocional, criado pelo pesquisador Paul Ekman e pelo Lama Alan Wallace a pedido de Sua Santidade Dalai Lama. O programa tem por objetivo instrumentalizar as pessoas, a partir das descobertas científicas e também do treinamento da mente da tradição contemplativa, a lidar de forma mais saudável com suas emoções, cultivando respostas mais construtivas e diminuindo as destrutivas e assim, ter uma vida mais genuinamente feliz. As facilitadoras do curso são professoras certificadas do programa pelo Santa Barbara Institute for Consciousness Studies.

Programação

01/02 | Encontro 1: Bondade amorosa (9h30 às 12h | 14h às 17h)

14/03 | Encontro 2: Compaixão (9h30 às 12h | 14h às 17h) SUSPENSO

04/04 | Encontro 3: Alegria (9h30 às 12h | 14h às 17h) EM ABERTO

23/05 | Encontro 4: Equanimidade (9h30 às 12h | 14h às 17h) EM ABERTO

* é possível participar dos encontros individualmente, ainda assim, recomendamos a participação completa nos 4 encontros. Não é possível participar de apenas um dos turnos de um encontro.

Contribuição

R$100,00 por encontro

A sustentação das atividades do CEBB no Brasil todo é realizada unicamente pelo meio tradicional de sustentação das sangas budistas: a doação espontânea dos seus frequentadores. O valor também apoia os movimentos das facilitadoras. 

Inscrições

Para se inscrever, favor chegar às 9h. Pagamento somente em dinheiro.

Facilitadoras:

Caroline Bertolino realizou Mestrado pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre. É professora do programa Mindful Self-Compassion pela Universidade de San Diego, California, desde 2015. Em 2013, tornou-se professora do programa Cultivating Emotional Balance pelo Instituto de Santa Barbara (EUA). Tem formação em Psicologia pela Universidade Federal de São Carlos e pós-graduação em Arteterapia pelo NAPE. Realizou o curso Comunicação Não-violenta, com Sven Fröelich, em Nazaré Uniluz. Também é habilitada pelo Instituto Social Pichon-Riviére para desenvolvimento e coordenação de grupos, e em Círculos de Paz pela AJURIS. Atua nas esferas institucional e educacional para a promoção da saúde mental individual e coletiva.

Stela Santin é aluna do Lama Samten e tutora dos referenciais de estudo e prática do CEBB. É professora do programa “Cultivating Emotional Balance” pelo Instituto de Santa Barbara (EUA) e é facilitadora de Círculos de Construção de Paz pela AJURIS.

Onde

CEBB Porto Alegre | Rua Garibaldi, 1368, pertinho da Osvaldo Aranha, no Bom Fim.

Contato

eventoscebbpoa@gmail.com