Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Budismo, meditação e cultura de paz | Lama Padma Samten

Arriba!

Arriba!

Oficina de Japamalas no CEBB Maceió

Oficina de Japamalas no CEBB Maceió
17/3 (domingo), das 15h às 18h
no CEBB Maceió

Neste domingo, o CEBB Maceió realiza uma Oficina de Japamalas. Venha aprender a montar o seu e a usá-lo na recitação de mantras. Aberto a todos os interessados.

CLIQUE AQUI PARA SE INSCREVER GRATUITAMENTE

 

SOBRE O JAPAMALA
O mala, também conhecido como japamala, é um objeto utilizado por diferentes culturas ao redor do mundo para a prática de mentalização, meditação e recitação de mantras.

O QUE É MANTRA?
Um mantra é qualquer sílaba, palavra ou frase que emane energia positiva. A palavra mantra vem do sânscrito – “man”, que significa “mente” ou “pensamento”, e “tra”, que significa “proteger”, “socorrer”. Assim, mantra quer dizer proteger nossas mentes de maus pensamentos.

POR QUE TANTAS REPETIÇÕES?
O mantra é repetido de forma a auxiliar a concentração durante a meditação e seu objetivo é conduzir a mente a estados mais elevados. Apesar de não ser obrigatória a utilização de um mala para recitá-los, o desfilar das contas pela ponta dos dedos evita que a mente se disperse. Imantado pela repetição dos mantras, o mala transforma-se também em um poderoso objeto de proteção e cura.

QUAL A SIMBOLOGIA DO MALA?
Um japamala é geralmente composto por 108 contas (ou de múltiplos desse número), número considerado auspicioso pela tradição oriental, além de uma conta central (chamada Guru) que marca o início e o fim do mala. Cada circuito de 108 repetições leva a um estágio superior de consciência.
O mala pode ser utilizado a qualquer momento – e é especialmente útil para acalmar a mente em ocasiões difíceis ou fortalecê-la aproveitando períodos ociosos do dia-a-dia.
Segure o mala com uma das mãos. Apoiando-o em seu dedo médio, use o polegar para empurrar cada uma das contas. Cada vez que o mantra é mentalizado ou pronunciado, empurra-se uma conta. O Guru não deve ser contado como as demais 108 contas (assim como outras possíveis peças utilizadas como entremeios). Terminando a passagem pelas 108 contas, caso o praticante queira continuar e fazer mais uma volta, não deve passar por cima do Guru; em vez disso, deve virar o cordão e continuar a fazer o japamala na direção inversa.
Para surtir efeito, a prática da meditação deve ser frequente.