Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Budismo, meditação e cultura de paz | Lama Padma Samten

Arriba!

Arriba!

Palestra com Lama Padma Samten na UFCSPA: Espiritualidade, Educação e Saúde

Palestra com Lama Padma Samten na UFCSPA: Espiritualidade, Educação e Saúde

Veja o vídeo completo e fotos da palestra

Na noite do dia 14/9/2015, na Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre, cerca de 400 pessoas ouviram a palestra de Lama Samten “Espiritualidade, Educação e Saúde”

Principais temas: história da ciência, abordagem dos profissionais da saúde, Niels Bohr, física quântica, avidya, ignorância, samsara, meditação, autonomia da energia, harmonia nas relações, transmigração, insatisfatoriedade.

Alguns trechos da palestra:

“Essa é a nossa aventura. A espiritualidade podemos resumir nisso: gerar autonomia da energia, ultrapassar os condicionamentos internos e entender essa vida interna que está além dessas denonimações, desses impulsos. Se a gente não descobrir isso, nós vamos viver a nossa vida inteira simplesmente repercutindo impulsos condicionados que funcionam por um tempo e vão sendo abandonados por outros… Isso é um super desperdício, pessoal. Talvez não valha a comida que a gente coma, que também não é pouca e envolve muitas vidas.”

“A meditação é isso: eu tenho que parar livre e olhar o que está na frente, despido do que eu tenho dentro. Esse é o treinamento.”

“Nós estamos no samsara. O samsara é assim: nós olhamos para as coisas e elas parecem uma coisa, mas elas são outra. A gente não vê a profundidade das coisas, a gente vê a superficialidade.”

“O budismo pode ser abordado por muitos ângulos. Há esse ângulo da cognição em que encontramos as marcas internas. Quando olhamos, tem uma marca interna. Ou eu vou passar o resto da minha vida olhando a partir de marcas internas e achando que a minha marca é melhor que a outra, que a minha opinião é melhor que a outra? As pessoas não convergem, não conseguem se comunicar direito. Isso diz respeito diretamente à comunicação. Vocês já devem ter passado por isso: uma pessoa fala uma coisa e o outro não entende, ainda que fale português. Ele não entende, porque ele está dentro de um paradigma, dentro de bolhas de realidade.”

“A capacidade de entender o outro no mundo do outro é crucial para as relações melhorarem. Para entendermos o que significa olhar o outro no mundo do outro, nós precisamos ter alguma experiência de distanciamento dessas estruturas internas que pensamos que somos nós mesmos, mas não são nós mesmos. São estruturas internas.”

“A meditação é super simples. Parece complexa, mas não é. Eu vou explicar de uma forma bem direta e simples, o cerne. Quando a gente medita, a gente vai fazer uma aventura, alguma coisa que a gente nunca fez, de fato, porque estamos sentados, nós vamos nos manter lúcidos, sem nenhuma predisposição e sem buscar no exterior qualquer apoio para fazer surgir a nossa energia. Isso é completamente diferente do nosso funcionamento normal. Por exemplo, no funcionamento usual do samsara, que é o nosso problema, nós estamos sempre olhando para as coisas para ver se alguma coisa brilha mais e nós nos alegramos. A nossa energia está totalmente dependente das experiências de olhos, ouvidos, nariz, língua, tato e mente abstrata.”

“Os Bodisatvas geram sua própria energia. Esse é o jeito bodicita de usar a mente. Não é o jeito samsara de usar a mente.”

“O protagonismo é da mente. A mente se move e o cérebro vai atrás e não o contrário.”

“Quando a insatisfatoriedade surge, tudo empalidece.”

“Não há avanço contínuo, apenas por saltos.”

Assista ao vídeo da palestra

Algumas fotos: