Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Budismo, meditação e cultura de paz | Lama Padma Samten

Arriba!

Arriba!

Qual a diferença entre persistir e fluir no caminho?

Qual a diferença entre persistir e fluir no caminho?

Pergunta realizada no retiro de 17 a 19 de março de 2017, no CEBB Mendjilá, em Canelinha-SC.

Pergunta: Qual é a diferença entre persistência, ou seja, quando eu devo ser persistente no caminho e quando eu devo fluir?

Lama Padma Samten: Tokuda San dizia: “com esforço a gente não vai a lugar nenhum, sem esforço também não”. Então, essa é uma definição super boa! Isso nunca vai estar bem resolvido, porque a gente está no meio do samsara e o samsara não tem uma resposta que resolva. Mas eu vejo assim: eu acho super importante que a gente tenha uma direção para onde queremos andar. Então, essa seria a persistência, a gente manter aquela direção. Mas essa direção não deveria ser uma teimosia, ela deveria ser alguma coisa que estivesse harmonizada na nossa visão, de fato. Então, a gente tem essa persistência. Não seria uma persistência do movimento, mas uma persistência por uma maturidade da direção e da forma de olhar, uma maturidade da visão, isso seria persistência.

Quando, por exemplo, a gente estabelece uma direção, a gente quer planejar, estabelecer passos naquela direção. Nem sempre isso vai funcionar. Por vezes eu sugiro: é melhor fluir! Fluir por quê? Nós estamos indo e a gente encontra os obstáculos. Por isso, melhor fluir, ou seja, nós contornamos os obstáculos, a gente não vai atravessar pelo meio, não vai conseguir. Então, a gente olha e vê as circunstâncias e contorna aquilo. Mas a gente não abandonaria a visão. Portanto, a persistência e a fluidez se complementam. Porque a persistência é a persistência da visão e a fluidez nos meios hábeis.

A gente não se fixa no meio hábil ou no planejamento. Eu acho interessante planejar. Mas o planejamento deveria sempre ser feito dentro de uma compreensão que se trata de um meio hábil, não se trata de uma rigidez. Se a gente precisar abandonar o planejamento, a gente abandona, por que o que precisamos é manter a visão. Se aquele planejamento vai nos levar a uma direção que, enfim, descobrimos que não é interessante, então é melhor abandonar isso e manter a visão.

Às vezes, a gente pode até recuar. Mas a gente não está abandonando a visão. Estamos recuando para poder contornar melhor e chegar àquele lugar. Quando eu era muito jovem, uns vinte e poucos anos, eu tinha um professor na área da física, mas ele era um mestre geral. Era uma pessoa que já tinha uma certa idade. Ele era um guia de montanha. Então, eu lembro de caminhar com ele e com um grupo, e ele dizia: “é necessário avançar, cada passo firme e a velocidade não importa, a gente avança sempre. Quando é difícil, avançamos devagar; quando é fácil, avançamos mais rápido. Mas cada ponto sólido”. Na escalada de uma montanha, tem lugares que é necessário usar o corpo, ou seja, tu não podes caminhar, não tem como. Ele dizia: “cada lugar em que tu te apóias, tu tens três lugares firmes e tu encontras um outro ponto firme. Tu liberas um, mas mantém sempre três fixos. Nunca põe o joelho. Nunca senta no lugar. Sempre com os pés e as mãos fixos e tu vais indo, aí tu consegues subir. Tu consegues três pontos fixos, um tu liberas. Quando tu fixas um, tu liberas um outro e assim vais andando, mas sempre com o aspecto terra.

Tem uma direção para a qual tu estás andando e tem um meio hábil pelo qual tu não te arriscas, tem sempre um aspecto firme. Assim, tu vais avançando. Se for preciso recuar, tu recuas. Mas te mantém com aquela direção. Isso seria persistência, persistência da visão.

Então, para nós é isso: a primeira visão que precisamos entender é a primeira nobre verdade. Primeira nobre verdade, segunda verdade, terceira nobre verdade, quarta nobre verdade. Precisamos entender isso, essa é a nossa visão. E assim vamos andando. Cada pessoa está num certo lugar dentro do caminho. Ela está no lugar em que ela pode estar. Então, nós caminhamos a partir daquele lugar.

Vídeo do ensinamento

A resposta acima está em 13:45.