Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image Image

Budismo, meditação e cultura de paz | Lama Padma Samten

Arriba!

Arriba!

Cerimônia de Inauguração da Imagem do Grande Buda na Vila Zen

Cerimônia de Inauguração da Imagem do Grande Buda na Vila Zen

Lama Samten e a sanga do CEBB Caminho do Meio estiveram presentes nesse momento histórico para o Budismo brasileiro!

No dia 20 de dezembro de 2014, Lama Samten esteve junto com a sanga do CEBB Caminho do Meio na sede do Via Zen em Viamão, a Vila Zen, para a Cerimônia de Abertura do Olho da Imagem do Grande Buda, uma imagem de 9m de altura idealizada por Gustavo Nakle Denshin e realizada por ele com o apoio da Sanga do Via Zen.

Logo após a cerimonia de inauguração, o mestre Kuroda Roshi, que veio do Japão especialmente para oficiar a cerimônia, deu ensinamentos muito preciosos e diretos sobre a natureza búdica da mente. Também Monja Cohen Sensei e Monje Dengaku dirigiram palavras sobre o Darma aos presentes. Por fim, Lama Samten foi convidado a falar algumas palavras aos presentes.

Foi um encontro histórico para o Budismo brasileiro!

Para a sanga do CEBB foi uma grande alegria estar presente nesse momento tão especial de florescimento da sede dos queridos amigos do Via Zen, que agora conta com uma estátua tão auspiciosa do Buda.

Que muitos seres possam se beneficiar e que os méritos se expandam e toquem a todos!

Há belíssimas fotos da cerimônia no facebook da Vila Zen. Veja aqui.

Veja abaixo mais informações sobre a cerimônia e algumas fotos.

Fonte: Site do Via Zen

A Cerimônia

A Cerimônia de Abertura do Olho é também chamada por alguns de “cerimônia para colocar a essência de Buda na imagem”. É a bênção que transforma a escultura em um Buda vivo, presente, abençoando toda a natureza e todos os seres.

Na Cerimônia, o monge oficiante, usando um longo pincel, desenha em direção ao Buda três círculos em sentido horário com os dizeres “os três mundos são apenas a mente” e três círculos em sentido anti-horário dizendo “Namu Xaquiamuni Buda” (Honra Suprema ao Buda Xaquiamuni – o Buda histórico, que viveu na Índia há mais de 2.500 anos). Durante a celebração, são entoados Sutras (ensinamentos de Buda em forma de versos).

O monge também desenha um caractere chinês que significa “coração-mente-essência” e faz um gesto para que essa essência de Buda permaneça na imagem. A partir daí, ela se torna uma imagem sagrada e as pessoas devem colocar as mãos palma com palma ao passar por ela, bem como fazer uma reverência como se estivessem em frente do próprio Xaquiamuni Buda.

A Imagem

O Grande Buda (Dai Butsu) é uma escultura de nove metros de altura idealizada por Gustavo Denshin Nakle e realizada por ele com a ajuda da Sanga do Via Zen. Normalmente, esculturas desse porte são feitas ao final da construção de um Centro de Prática. Nesse caso, foi o projeto do artista que impulsionou a realização da construção do centro, que aspiramos ser um local de prática e estudo dos ensinamentos de Xaquiamuni Buda, Mestre Dogen e Mestre Keizan para o Brasil e América Latina.

O Oficiante

Junnyu Kuroda RoshiJunnyu Kuroda Roshi abade do Templo Kirigayaji, em Tóquio (Japão) e veio ao Brasil especialmente para oficiar a Cerimônia do Grande Buda. Kuroda Roshi tem sido mentor espiritual de muitos monges e monjas tanto no Japão quanto na Europa, Estados Unidos e Brasil. Teve sua formação monástica no Mosteiro Sede de Sojiji, em Yokohama (Japão). Atualmente, é reconhecido como um Mestre de uma das mais altas graduações da Ordem Soto Shu do Japão. Tem participado de encontros interreligiosos e interbudistas, tanto no Japão como na Europa e Estados Unidos e tem trabalhado incessantemente para a construção de uma Cultura de Paz. Kuroda Roshi tem mais de 70 anos de idade e tem sido benfeitor de grupos budistas e praticantes de vários países além do Brasil e Japão, como Holanda, Polônia, Estados Unidos, Butão, Sri Lanka e China.

O Escultor

Gustavo Nakle (Denshin) nasceu em Montevidéu, Uruguai, e reside em Porto Alegre, Brasil, desde 1972. Tornou-se praticante Zen-budista em 2008, recebendo seu nome de Darma, Denshin. Sua obra transita por diversos materiais como bronze, acrílico, vidro, fibra, sempre marcada por uma forte criatividade e inquitação que na imagem do Buda, em parte, foram deixadas de lado. Ao realizar esta obra, Nakle oferece inspiração para a  criação de um Centro de Prática Zen-Busdista em terras brasileiras, para ser refúgio de praticantes e simpatizantes, não apenas do Brasil, mas de todo o mundo.

Lama Padma Samten e sanga do CEBB Caminho do Meio

Monge Dengaku, Gustavo Nakle, escultor da estátua, e Lama Padma Samten